12 Vezes em que o Cobra Kai
se pareceu com o Kombato

Cobra Kai é um seriado que foi lançado pelo YouTube Premium em 2018 e comprado pela Netflix em 2019, o seriado é inspirado na trama do Filme Karate Kid lançado na década de 80. Já o Kombato é um sistema de Ciência e Proteção criado no Brasil desenvolvido para combate armado e desarmado fundado pelo Grão Mestre Paulo Albuquerque.

Alguns anos atrás o Próprio Mestre Paulo gravou um vídeo falando como hollywood é excelente na hora de distorcer a realidade e fazer você acreditar no que eles quiserem, mesmo que isso signifique torcer para o “vilão”.

No vídeo o Mestre Paulo começa a recontar a história do filme, mas puxando para o lado sensato da história, e você começa a perceber que o verdadeiro vilão não é o que o filme mostra ser. A mesma ideia foi usada para produzir o seriado Cobra Kai.

O interessante é que mesmo antes do seriado se quer existir o Mestre Paulo sempre comentava o quanto o Cobra Kai se parecia com o Kombato, mesmo que em meros detalhes como a cor do uniforme, a logo e até a filosofia de combate.

Agora já com duas temporadas de sucesso e com lançamento marcado para terceira temporada em 2021, nós aqui da Universidade Tática reunimos 12 características da ficção do Cobra Kai que se assemelham com a vida real do Kombato.

1 - Início de Tudo

O primeiro filme do Karate Kid estreou em 1984, o segundo em 1986 e o terceiro e último filme dessa saga em 1989 exatamente o mesmo ano da fundação oficial do Kombato.

2 - Os Uniformes

Embora tanto o Kombato quanto o Cobra Kai tenham suas características próprias quanto aos uniformes.

O Cobra Kai usa o quimono com detalhes em amarelo, e o Kombato usa roupas semelhantes ao dia a dia com detalhes em branco.

Mas em ambas as modalidades a cor predominante é o PRETO.

3 - A Logo

O Cobra Kai e o Kombato possuem seus mascotes oficiais, o Cobra Kai a Serpente e o Kombato o Carcará, usar animais como mascotes não é uma prática incomum, muitas empresas, organizações, instituições de ensino fazem isso.

Mas o que mais nos chama atenção é o punho fechado nos uniformes. O próprio fundador do Kombato, Grão Mestre Paulo Albuquerque, ficou surpreso quando percebeu isso.

Disse que já tinha assistido os primeiros filmes do Karate Kid, mas que nunca tinha dado essa devida atenção para esse detalhe na época.

4 - Filosofia de Combate

Quem não se lembra das palavras que praticamente fazem a base de toda estrutura de combate do Cobra Kai? “Acerte primeiro, Acerte Firme, Sem compaixão”.

O Kombato usa diversos mnemônicos em suas aulas para maximizar o aprendizado de seus alunos. Um dos mais conhecidos é o S.E.I. – Surpreender, Explodir, Impiedosamente.

Se parar para pensar, é praticamente o mesmo principio:

Surpreender/Acertar primeiro = Ter a iniciativa, tanto o Cobra Kai como o Kombato acreditam que quem toma a iniciativa terá a vantagem em combate. Lembrando que tanto o Sensei Lawrence quanto Mestre Paulo dizem que agir primeiro, não significa sempre atacar, na vida real existe uma área cinza onde você deve pesar as consequências. Mas a iniciativa sempre deve ser sua!

Explodir/Acertar firme = Tanto no Kombato como o Cobra Kai você deve usar todas as suas forças na hora da ação, um dos fundamentos do Kombato que complementam essa ideia é a de “Faça de tal forma, que você não precise fazer de novo”, ou seja, faça para que você só precise fazer uma vez.

Impiedosamente/Sem compaixão = No Kombato se diz que o combate “só acaba, quando termina”, que significa que você não para enquanto seu inimigo não estiver fora de combate. No Cobra Kai podemos ver isso em praticamente todos os combates da série, seja de um lado ou do outro da trama, a luta só acaba quando o outro lado está fora de ação.

5 - Como lidar com os Inimigos

No seriado, a maior ênfase dos combates é voltada sempre para as competições de caratê, mas não apenas isso. Seja pelo lado do Miyagi-do ou do Cobra Kai o conceito de Autodefesa para as ruas também está presente.

Durante os campeonatos e torneios o Sensei Lawrence tenta ensinar aos seus alunos conceitos como honra, respeito e lealdade. Mas quando se trata do combate urbano como ele mesmo diz na T1:E2 “O inimigo não merece compaixão”.

No Kombato o mesmo princípio se aplica, o IVAN mnemônico que representa o Inimigo de maior Volume Armado ou Número, deve ser tratado com tal, um INIMIGO e não um adversário que você enfrenta no tatame.

Na rua não espere do seu inimigo coisas como honra, respeito e lealdade, ele fará o necessário para sobreviver, você também deve. Lembre-se do S.E.I. – Surpreender, Explodir, Impiedosamente.

6 - Estratégia de Combate

Na T1:E4 o Sensei Lawrence diz ao seu aluno que irá lhe ensinar a “melhor defesa”, que é o ataque.

O Kombato pensa da mesma forma, o Mestre Paulo Albuquerque sempre diz que: “Quem só se defende, só adia a própria derrota”.

Não importa quantas defesas bem sucedidas você realiza, se você não atacar, apenas estará adiando o inevitável.

7 - Múltiplos Agressores

No episódio 5 da primeira temporada, durante o treinamento o Sensei Lawrence após ser derrubado por Miguel, liga a máquina de arremessar bolinhas e acerta a cabeça do seu aluno.

Miguel contesta dizendo que não era justo, e o Sensei diz que ele não deve pensar que os INIMIGOS vão seguir regras, e complementa dizendo: “ E se a bola fosse o amigo do seu inimigo vindo por trás? Tem que estar preparado para tudo ”.

O Kombato pensa da mesma maneira, lembra do IVAN? Inimigo de maior Volume Armado ou NÚMERO, diferente de um torneio onde é só você e seu adversário, nas ruas inimigos podem estar escondidos apenas esperando o momento certo para te atacar.

No Kombato os alunos aprendem a lidar com situações desse tipo que podem envolver vários agressores de forma simultânea, estando eles armados ou desarmados.


8 - Metodologia Própria

No Cobra Kai, mesmo se ensinando caratê, eles dizem ensinar uma metodologia própria, conhecida como “método do punho”, no Kombato mesmo ensinando o que muitos chamam de defesa pessoal, a metodologia do Kombato é a Ciência da Proteção.

A Ciência da Proteção é um conjunto de técnicas e conceitos minuciosamente estudados, testados e treinados. Evoluindo quase que de ano em ano para que possa ensinar seus alunos a combater a violência injusta com máxima eficiência, sem ficar presos as cujas “técnicas milenares” que já foram ultrapassadas a muitos anos.

Ciência de Proteção não foi apenas um nome bonito dado pelo Mestre Paulo Albuquerque, seu objetivo sempre foi aperfeiçoar e melhorar o Kombato de todas as formas assim como a Ciência busca evoluir, o Kombato procura fazer o mesmo na área da segurança.

9 - O Treinamento

Na T1:E7 o Sensei Lawrence percebe que a maioria dos seus alunos nunca se envolveram em um conflito e tinham muito medo disso, por isso, antes da aula terminar nenhum aluno poderia ir para casa até levar um soco na cara.

No Kombato essa metodologia de treino é real. Claro, ela não vem em formato de violência gratuita, mas os alunos passam por vários tipos de combates, alguns com equipamentos, outros com equipamentos mais leves e para alunos mais experientes, combates sem qualquer tipo de equipamento.

Esse processo não acontece da noite para o dia, é gradual, assim o aluno descobre que não é tão frágil quanto pensava ser, e que não vai morrer por levar alguns golpes traumáticos.

Mas esse tipo de treinamento só funciona se for supervisionado por mentores qualificados que saibam exatamente o que estão fazendo e conhecem os limites anatômicos do corpo humano.

Caso contrário, você verá apenas cenas de alunos se machucando de forma desnecessária como se pode ver em muitas academias por ai, em muitas delas o próprio “professor” é diretamente o responsável por essas “lesões gratuitas”.

10 - “O método do punho não é delicado, cobras não são delicadas”

O Cobra Kai não foca tanto na parte artística do caratê como outros estilos, e não tem nada de errado com isso, cada estilo tem seus princípios, vantagens e desvantagens, tudo depende exclusivamente do que cada aluno busca em aprender.

O Kombato também já foi alvo desse tipo de críticas. Alguns dizem que ele é muito rústico ou que suas técnicas e movimentações são “feias”.

Bem, nas palavras do Mestre Paulo Albuquerque: “Não é para ser bonito, é para ser funcional, para que você possa voltar vivo para sua casa”.

A velha história do menos é mais, técnica pomodoro, 80/20, como você preferir chamar. O fato é, se estiver complicado é porque está errado.

Ah! Importante... Complicado é diferente de Difícil. Uma coisa pode ser simples, mas não significa que ela seja fácil.

As técnicas do Kombato são simples, desenvolvidas para que qualquer pessoa possa executa-las, mas não significa que entrar em um combate real seja fácil. É preciso treinar, e muito.

11 - Escolhas

Na T2:E5 enquanto o Sensei Lawrence está fazendo uma explicação do seu exercício, ele se encontra em uma situação difícil.

Então ele começa a mostrar as opções aos seus alunos e diz que eles podem acabar se machucando de uma forma ou de outra, e que não pode tomar essa decisão por eles, mas para sobreviver, eles precisam tomar uma decisão e seguir em frente.

No Kombato essa é a base da Ciência e Proteção, mostrar aos alunos que existem caminhos, mas jamais forçar o aluno a escolher qual atitude tomar.

O Kombato ensina seus alunos não apenas a lutar e se defender, mas principalmente a pensar. Analisar o cenário como um todo, calcular as variáveis.

Sim, o Kombato possui uma fórmula matemática chamada VAR (variável de risco) que os alunos aprendem como calcular riscos eminentes e a partir dai com as opções em mãos, saber qual a melhor atitude tomar.

12 - Militarismo

No Cobra Kai o militarismo é muito presente, em partes pela própria metodologia do caratê que era ensinado ao exército japonês, mas também por conta de John Kreese, o Sensei Fundador do Cobra Kai, Ex Cap. do exército americano.

Kreese trouxe para os tatames muitos hábitos que ele aprendeu no exército. Hierarquia, disciplina, o instinto de sobrevivência que incentiva a necessidade de vencer e derrotar o inimigo custe o que custar.

Até mesmo os “jogos de guerra” muito utilizados pelas formas armadas no mundo todo, feito em escala menor, é possível ver um desses métodos de treinamento na T2:E7 onde o Sensei Kreese faz os alunos do Cobra Kai participarem do que ele nomeou de “Coyote Creek”.

Embora o Kombato tenha surgido alguns anos antes, sua grande expansão começou quando o Mestre Paulo Albuquerque começou a treinar a Marinha do Brasil.

Durantes muitos anos em convívio com os militares o Mestre Paulo não apenas pode ensinar diversas táticas e técnicas de combate como também pode aprender muito com o estilo de vida militar, tal estilo que até os dias de hoje se encontram presentes.

As graduações, apresentação pessoal, hierarquia, disciplina, exemplo pessoal dos professores com seus alunos e dos alunos com a comunidade.

Embora aplicado de forma mais sutil, as graduações no Kombato tem muita influencia das graduações militares.

Graduações no Kombato:

Branca – Recruta

Verde 1 - Soldado
Verde 2 - Cabo
Verde 3 - Terceiro Sargento

Vermelha 1 - Segundo Sargento
Vermelha 2 - Primeiro Sargento


Marrom - Segundo Tenente

Preta – 1º Tenente

A partir dai começa os graus de preta, que vai seguindo a cadeia de comando militar, Capitão, Major, Coronel etc.

!!!ATENÇÃO!!!

BÔNUS – SE VOCÊ SE OFENDE FACILMENTE, PARE A LEITURA AQUI.

O PARÁGRAFO A SEGUIR NÃO É PARA PESSOAS SENSÍVEIS, FRÁGEIS, COM BAIXA AUTOESTIMA, COM EMOCIONAL FRACO, “MIMIZENTOS” ou pessoas que gostam de xingar no twitter.

13 - Bullying

Sacanear os outros. O que muitos chamam de “bullying” na minha época de escola a gente chamava de zoação, e todos faziam com todos e a vida seguia.

Alguns lidavam e aceitavam isso, outros eram consumidos. Os que aceitavam entendiam que não era nada de mais, e começavam a fazer com quem faziam com eles.

Quem não aceitava, acabava se afundando nos seus próprios problemas e sentimentos o que acabava deixando as coisas ainda piores.

No Cobra Kai, as zoações, sacanagens e piadas ocorrem o tempo todo. Principalmente por parte do Sensei Lawrence, ele acredita que isso deixa os seus alunos emocionalmente mais fortes, ele mesmo diz no T1:E5 “Na minha época, se quisesse zoar alguém, fazia na cara dela

No Kombato esse convívio com os alunos não é diferente, o Próprio Mestre Paulo é um incentivador das piadas e gozações COM e ENTRE seus alunos, além de deixar a aula mais descontraída, como o próprio Mestre diz, e aposto que o Sensei Lawrence concordaria o “bullying constrói caráter”.

CALMA! Vale a pena lembrar que uma coisa é você fazer algumas brincadeiras e tirar sarro com as pessoas a sua volta e outra bem diferente é ser cruel.

No Kombato e no Cobra Kai isso é sempre ensinado aos alunos, e aqueles que não respeitam a integridade dos outros, são punidos.

Esses nerds escondidos atrás de um computador são uns otários” - Sensei Lawrence

Sobre o autor

Flavio Gavlouski

Professor de Kombato, Kali, Silat e Boxe Filipino. Já ministrou aulas, cursos, seminários e workshops em diversas entidades de segurança, como a PMPR, a Força Aérea Brasileira e o Grupamento de Rondas Ostensivas de Natureza Especial (RONE) do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Paraná (BOPE/PMPR).

Contato por e-mail:
contato@universidadetatica.com.br

Contato pelo Telegram:
0419-9893-5352

Copyright 2020 - Universidade Tática
CNPJ: 37.134.561/0001-93
Rua Odacir Schilipaki, 100, Santa Cândida - Curitiba - PR - 82640-500